Dica: o melhor jeito de conferir os artigos mais importantes do site é acessando o ÍNDICE.

27 de janeiro de 2010

Ter um Animal de Estimação

Ter um animal de estimação é algo único. Envolve uma mistura complexa de responsabilidade e afeto, que muitas vezes se torna tão grande que o animal deixa de ser uma simples criatura para se tornar parte da família.

Convivemos tanto com cães, principalmente, que já o consideramos "o melhor amigo do homem". Veja só, estes animais já estão tão enraizados em nossa cultura que até nós, seres humanos, já perdemos lugar para os cães no quesito amizade. 


Para você ter uma idéia do que eu estou falando, uma pesquisa de 2009 denominada Radar Pet e encomendada pela Comac (Comissão de Animais de Companhia) do Sidan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal) estimou que existe hoje, nas residências de pessoas das classes A, B e C no Brasil, uma população de 25 milhões de cães e 7 milhões de gatos (REFERÊNCIA). 
 

Essa pesquisa mostrou que 44% dos lares brasileiros possuem cão ou gato, sendo que o cachorro ainda é a preferência nacional ao estar presente em 79% dos lares brasileiros, enquanto apenas 10% possuem gatos e 11% possuem ambos. 


Todas essas informações apresentadas nos mostram com clareza que nós, seres humanos, temos um enorme interesse em ter animais de estimação. Até aí não há nada de errado, mas o que muita gente não sabe é que ter um animal dentro de casa significa também responsabilidades e custos, ou seja, ele precisa de tanto ou mais cuidados que uma pessoa.

Segundo a Radar Pet, em termos de prevenção, o brasileiro ainda cuida pouco dos animais de estimação, pois 79% das pessoas só levam seus animais ao veterinário quando estes apresentam algum problema. E este comportamento se repete em todas as classes sociais: 64% na classe A, 77% na classe B e 80% na classe C.

Por isso, antes de adquirir um animal de estimação, você deve ter me mente tudo o que isso implica. Ter um animal de estimação não é só deixá-lo em qualquer canto, com qualquer comida, sem mais nem menos. Ter um animal de estimação é ter a responsabilidade em promover o bem-estar do animal.

Para ajudar nessa tarefa, uma entidade chamada Farm Animal Welfare Council (FAWC), que tem como missão promover o bem-estar dos animais, desenvolveu o conceito das cinco liberdades, a qual foi adotada na legislação de inúmeros países. As cinco liberdades dizem que os animais têm o direito a viver:

1.      Livres de sede, fome ou má-nutrição, tendo acesso à água e aos alimentos apropriados;
2.      Livres de mal-estar ou incômodo, vivendo em um ambiente adequado;
3.      Livres de dor, ferimentos e doenças, mediante prevenção ou tratamento;
4.    Livres para expressar seu comportamento natural, através de espaços suficientes  e instalações adequadas;
5.      Livres de medo ou estresse, com condições que impeçam o sofrimento mental.

Esta lista é de grande utilidade para uma rápida identificação de situações que comprometem o bem-estar animal, isto é, qualquer situação que cause medo, dor, desconforto, ferimento, doença ou angústias comportamentais. Portanto, um bom dono deve ser capaz de oferecer ao seu animal de estimação no mínimo estas cinco liberdades.

Porém, para promover o bem-estar do animal e identificar algumas possíveis situações de mal-estar, o primeiro passo é conhecer pelo menos o mínimo necessário sobre o animal. Coisas como, por exemplo, a alimentação adequada, as características de um bom ambiente para o animal viver, os comportamentos típicos do animal, entre muitos outros itens.

Uma coisa importante de relembrar e reafirmar é que cada espécie de animal possui características únicas que requerem cuidados únicos. Melhor dizendo, não dá para você ter um jabuti e cuidar dele como se fosse um cachorro ou gato. Se o animal é diferente, você terá que cuidar dele de forma diferente, de acordo com as necessidades específicas que ele possui. Ainda, cada tipo de animal vai se interagir com um dono de um jeito. O cachorro, geralmente, quer a toda hora carinho e atenção. Já o jabuti, não! Ele é mais um animal de ser contemplado e geralmente não gosta de carinho ou que fique pegando ele a toda hora.

Desse modo, nos próximos artigos deste site, você irá renovar seus conhecimentos sobre animais de estimação, em especial sobre os cuidados necessários e particularidades que o jabuti piranga requer para ter uma boa vida ao seu lado. 

Até a próxima!

3 comentários:

  1. Gostei muito do seu blog! tenho dois jabutis e encontrei muitas informações interessantes :)

    ResponderExcluir
  2. Nossa Renato eu sabia que gostava de jabuti, mas como você não. Parabéns pelo blog, ele está bem completo com tudo que uma pessoa precisa saber pra cuidar desteste bichos maravilhosos que são, então Renato eu tenho duas jabutis que eu adquiri em 2009 do criadouro do Sr. Aroldo na Bahia, eu como você também adoro estas pequenas, o nome das minhas é Bela e Bia e quando decidi a busca-las nunca quis o casal porque eu não saberia cuidar e ainda bem que o Sr. Aroldo permitiu que eu ficasse com duas fêmeas. Bom é isso, adorei seu blog.

    ResponderExcluir
  3. ola eu gostaria de saber c meu jabuti
    apresenta algum tipo de simoma
    quando ele nao esta bem
    como eu saberei quando ele esta bem ou nao?

    ResponderExcluir